Powered by Bravenet Bravenet Blog

Thursday, June 4th 2009

5:54 AM



Caros colegas e amigos;

Está aberto mais um canal de comunicação entre todos os Tchivinguiristas, neste espaço agora criado
esperamos a participação de todos, tendo em vista consolidar a amizade que nos caracteriza e reforçar a nossa união.

Para além desta solicitação da abertura deste canal, tendo em vista a realização do próximo encontro em Torres Vedras para 2010, aceitam-se outras propostas que naturalmente iremos debater, pondo em confronto as ideias e sugestões, sempre naquele espírito fraterno que nos caracteriza.

Insiram comentários e sugestões e não se esqueçam que as graçolas devem também ser aqui postados.....heheheh

Ao Alto!!! Ao Alto!!!
Charrua.

Tchivinguiro WebServices

5 Comentários.

Posted by Catita:

Lembram-se no NÃO MUITO LONGINQUO ano de 1964 quando o Zé da Bomba recebeu aquela encomenda da "santa terrinha" que era a Bomba no Huambo, composta de chouriços, marmelada,bolachas e ... cigarros e que o "grupo do 2ºano" encabeçado pelo "botija" lhe "gamou" a dita encomenda, convidando-o para lanchar e oferecendo ao "TONDO" um maço de cigarros, obrigando o dito Zé da Bomba ir cravar um cigarro ao "Tondo" para matar "vipepes"??? e aquela "clack" que a malta da camarata nº 3(bem escondidos e com modificações na voz) faziam aos Professores principalmente ao Melões e ao Mandrake...e que é que os barcos "rabelos" iam fazer à Régua???E aquela do quarto "binte óito" gamar os pedidos para as saídas a Sá da Bandeira e pôr o bom do Picuínhas a ouvir a contestação exaltada dos preteridos, com o "Sapo" à cabeça (que todavia era um dos membros do dito quarto e mais força fazia para queimar a saída de alguns dos seus melhores amigos???)
Thursday, June 4th 2009 @ 9:53 AM

Posted by eduardo schultz mota:

quem é que já esqueceu ( só mesmo os que estão carregados de alzeimer,como o meu é alzeimer "tipo light",estou aqui a recordar a 1ª rádio novela em Angola transmitida pela rádio Ganga,escrita pelo joão graça e nora,tendo como interpretes o schultz, o j.graça que imitavam as vozes de um criado,uma ccriada vinda do puto a falar achim,uma patroa boa ( fisicamente...é claro !) que punha os cornos ao patrão engº, acabados de chegar a Àfrica.....o Sapalo " varreu"criada e patroa...!!!!os ouvintes á hora da novela o pessoal ficava pendurado nas varandas...o Mesquita Mota e o Lapa eram os técnicos dos efeitos sonoros e gravação...até que um dia o RANGEL da rádio comercial soube da novela e quis que lá fossemos mostrar...só que o Lapa, ainda hoje não sabemos como aconteceu, DESGRAVOU TUDO !!!!não havia ainda o "choque tecnológico"....
um abração .....cuidado com o Alzeimer!!!!
Monday, August 3rd 2009 @ 3:07 PM

Posted by Calabeto Abreu:

Aceito o pedido do colega Manuel Duarte no site do Tchivinguiro para partilhar com toda a malta "tchivinguiresca" duas pequenas estórias
que marcaram o início do ano lectivo de
1964/65, era então Director da Escola o Eng. António Nunes Pissarra (não confundir com o Eng. Pissarra Gouveia).
Estou certo que muitos colegas o recordarão como prof de Agrologia, ex-Secretário de Estado da Agricultura e ex-prof da Escola de Regentes Agrícolas de Évora. Embora boa pessoa, simples,justa e muito recta, tinha uma clara dificuldade em lidar coma malta.
Acresce o pouco ou nada que sabia de Angola já que tinha acabado de chegar de Portugal.
Sem saber muito bem onde se tinha metido, fazia
das tripas coração para impor regras muito rígidas, algum autoritarismo (vulgar na época...) e, talvez, excessivo rigor enquanto
gestor. Saiu-se mal, e logo no 1º ano da sua comissão de serviço, ao ter de fazer frente a uma greve de fome e assumir a pesada
responsabilidade de expulsar da ERAT uma meia dúzia de colegas.

1. Greve de fome
Ainda não havia 1 mês de aulas, o director não conhecia os cantos à casa (Caholo? O que é isso?... Tondo? Quem é?), quando é confrontado
com a primeira greve de fome da historia da Escola!!! Com uma adesão quase a 100%, a malta resolve fazer uma marcha de silêncio com o Romão Veiga, Borges da Cunha e outros "mais velhos" à frente. Após rápida mobilização, saímos da sala de jantar já noite cerrada e percorremos o bairro dos profs em silencio sepulcral. Continuámos pela zona envolvente da casa do director, demos a volta pelo Pavilhão de Aulas e terminámos à frente do internato. Não nos foi permitida a entrada.
Junto do portão de ferro estava o director, vermelho de cólera e o Picuínhas, vermelho de pânico. Após uma troca azeda de palavras, de
queixas e mais queixas sobre a má qualidade das refeições, lá conseguimos entrar e receber a promessa de que iríamos passar a ter
uma melhoria na comida.
...de que iríamos passar a ter
uma melhoria na comida. Claro, a promessa só durou uma semana;

2. Expulsão
O director resolvera, ao fim de alguns meses de intenso e muito cansativo trabalho na Escola, sair do Tchivinguiro e ir arejar a mona
até Sá-da-Bandeira. Enfim, um fim-de-semana longe da malta só lhe faria bem. No regresso o Eng. Nunes Pissarra estranha a casa. Na
verdade, alguém tinha usado a sua cama, deixado alguns livros fora do
lugar, a geleira vazia e as bebidas alcoólicas tinham desaparecido. Do processo de
averiguações que se seguiu veio a saber-se que tinha sido um grupo de 6 ou 7 colegas que, após uma carraspana de caixão à cova,
tinham conseguido entrar por escalada no interior da casa. Uma vez descobertos, não tiveram atenuantes: expulsão!!! Assim mesmo, expulsão de toda a malta! Todavia, parece que há males que vêm por bem, a acreditar na sorte de um dos expulsos, o saudoso Raul Abreu Chaves, que já em Sá-da-Bandeira resolveu jogar na lotaria e veio a ganhar o
1º prémio, cerca de 500 contos, que deram para comprar, entre outras coisas, um Renault Gordini (se a memória me não falha) e os restantes colegas conseguiram a readmissão sem prejuízo do aproveitamento
escolar.

Um abraço,
Calabeto
(cgabreu@utad.pt; calabeto.abreu@gmail.com)
Wednesday, August 12th 2009 @ 4:11 PM

Posted by António Jorge Santos Ribeiro(Ribeiro Maluco):

A Marcha de Silêncio que se realizou conforme o Calabeto escreveu e bem foi um evento bastante significativo para todos nós que participamos. Mas somente alguns souberam que alguns dias depois aparecerm na Escola 2 Agentes da PIDE para interrogarem alguns de nós. É que, apesar de na altura não sabermos, a Rádio Moscovo anunciou no dia seguinte que os alunos de uma Escola Agrícola no Sul de Angola , descontentes com a política portuguesa, manifestaram-se com uma marcha de silêncio. Isto soubemos nós depois dos interrogatórios da PIDE.Quanto aos interrogatórios foram realmente muito engraçados.... Os agentes da PIDE perguntavam ... então o senhor está descontente com a política e nós na nossa ingenuidade política , respondíamos que sim que estavamos FARTOS DA MARMELADA...e os agentes ficaram mais intrigados...até que tivemos que esclarecer . Sr. Agente o que nós não queremos mais é comer marmelada como sobremesa, queremos é FRUTA... mais confusão... Mas que FRUTA, perguntavam os agentes da PIDE ?? Fruta dos pomares , temos aqui boa fruta e estes gajos querem-nos enfrascar de marmelada...Estamos fartos.. Foi um tormento para explicar aos PIDES que a marcha de silêncio não tinha nada a ver com política , mas sim uma marcha convocada à pressa para reclamarmos uma melhoria das refeições , principalmente da sobremesa, pois andavamos fartos da marmelda que muitas vezes nos davam.Um abraço a todos os colegas do Ribeiro( Maluco)
Friday, September 4th 2009 @ 8:55 AM

Posted by Lisete Cunha:

Gostava de saber se alguem sabe dos colegas .Cabe, Guida coquenao.Fernando Morais,Guida Vargas,Leonel de Jesus,Clementina,
,
Saturday, April 6th 2013 @ 12:02 AM

Post New Comment

No Smilies More Smilies »